Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Kate Sotero

26
Mar17

Excertos do Livro "A Mãe não vai fazer quimio"

Kate

Nos últimos meses tenho lido alguns livros relacionados com a epidemia do cancro, decidi partilhar convosco nesta tag #saúde, alguns excertos desses livros.

 

  Excertos do livro " A mãe não vai fazer quimio" da autora Lura Bond.

 

"Porque é que Temos Cancro

Pensamento Antigo vs Pensamento Novo

 

Pensamento antigo: fraqueza genética Pensamento novo: alterações epigenéticas

Pensamento antigo: Torrar ao sol Pensamento novo: Vitamina D insuficiente

Pensamento antigo: dieta rica em gorduras Pensamento novo: comida altamente processada

Pensamento antigo: o stress não é um factor considerável Pensamento novo: o stress está na raiz da causa

Pensamento antigo: a cura são os medicamentos Pensamento novo: a cura é o sistema imunitário"

 

" Um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford revela que 95% de todas as doenças estão relacionadas com o stresse. E no entanto, no que se refere ao cancro, não conseguimos abalar a crença de que o stresse é irrelevante e que fumar, ter maus genes ou azar é que são os melhores preditores da doença. Nada poderia estar mais longe da verdade: "os genes não tomam a decisão", afirma o Dr.Bernie Siegel, cirurgião e autor de sucesso. 'Eles são estimulados pela quimica interna, que se chama epigenética'.

O epigenoma está situado no topo do genoma (daí o prefixo "epi", que significa em cima). Sabemos agora que os fatores ambientais, como a dieta e o stresse, podem ligar e desligar os genes. 'Não podemos mudar os genes, mas podemos mudar a sua função e expressão (...) A experiência colectiva das nossas vidas - o nosso ambiente intrauterino, dieta, toxinas, micróbios, alergénios, tensões, ligações sociais, pensamentos e crenças - determina os genes que se ligam e desligam (...) A genética pode determinar a nossa predisposição para estas doenças, mas esses genes têm de ser ativados (ou silênciados) por 'gatilhos' ambientais, tais como a dieta ou o stress, para originiar a doença'. "

 

358c866ae023664a17a2a33f7f9454e4.jpeg

 

 

Vitamina D

 

"Ficar protegido do sol diminui os nossos níveis de vitamina D, e os baixos níveis estão relacionados com tudo, desde a esclerose múltipla e diabetes à obesidade e cancro. Existem agora mais de 800 estudos completamentes referenciados que demonstram a eficácia da vitamina D na prevenção de cancro, e está provado que níveis adequados reduzem as metástases, aumentam a apoptose (morte celular programada) e duplicam as taxas de sobrevivência dos pacientes de cancro colorretal.

 O hospital de São Jorge, em Londres, conclui dos seus estudos, que nas mulheres com baixos níveis de vitamina D no tecido da mama o risco de cancro da mama é 354% maior. Outros estudos demonstram que os niveis ótimos de vitamina D podem prevenir dezasseis tipos diferentes de cancro, incluindo os cancros do pâncreas, dos pulmões, dos ovários, da próstata e da pele. 'É como se a vitamina D desligasse as células cancerosas', explcia o Dr.Lodi, 'É por isso que vemos uma prevalência do cancro tão baixa nas populações que vivem na linha do equador ou próximo dela, e um aumento gradual dessa prevalência à medida que se vai mais para norte ou sul.'

Talvez julgue que trabalhar ao ar livre o torna mais vulnerável ao cancro da pele, mas a investigação sugere que, na verdade, são os trabalhadores dos escritórios que se têm de preocupar: 'Quando olhamos para estudos cientificos, descobrimos que o cancro da pele ocorre sobretudo em pessoas que nunca estão expostas ao sol', diz Andreas Moritz, autor de 'Cancer is not a Disease - It's a Survival Mechanism', são muitas vezes as pessas que se levantam às 7 da manhã para ir para o escritório, que trabalham dentro de portas debaixo de luz artificial e que vão para casa ás 7 da noite: nunca veem o sol"

 

Com Amor,

Kate

 

 

 

11
Mar17

A importância de restabelecer o nosso campo energético

Kate

   Nos dias de hoje a nossa rotina deixa-nos exaustos, a maioria de nós acorda a correr, trabalha a correr, come alguma coisa nos curtos intervalos, sai do trabalho, chega ao carro, pára para por gasóleo ou para comprar algo que falta em casa, chega a casa faz o jantar, dá banho aos miúdos, prepara as coisas para o dia de amanhã e cai na cama.

  Todo este stress dia após dia, ano após ano, destabiliza o normal funcionamento do nosso sistema imunitário, da nossa flora intestinal, e desregula o nosso sistema endócrino, responsável pela secreção de hormonas, muito importantes para o nosso bem-estar geral, como a serotonina, a dopamina, a melatonina, a oxitocina e a endorfina.


O nosso campo energético é o nosso templo sagrado, é a casa dentro de nós que temos de cuidar, limpar, suster e manter em equilíbrio.

 

Sem nome11.png

 

 

  Todos nós já sentimos muitas vezes o que é a "boa" e "má energia". Muitas vezes ouvimos expressões como "aquela pessoa suga-me",ou "este local faz-me sentir bem", ou "ir à praia renova-me as energias". Quando vamos a um centro comercial cheio de pessoas, quando estamos parados no trânsito horas a fio, quando estamos no trabalho e vemos colegas a discutirem, quando estamos o dia todo ao computador numa gabinete, ou quando passamos horas na clínica a tratar de pacientes, a nossa energia fica mais fraca. O nosso campo energético desce por várias razões, entre elas o facto de estarmos num local onde não há fluxo energético, ou porque estarmos a lidar com outras pessoas com um campo energético diferente do nosso, ou simplesmente porque o nosso espírito se está a reajustar a uma realidade diferente daquela onde pertence. Mas quando bebemos um chá na esplanada a olhar para a natureza, quando caminhamos descalços na areia da praia ou mesmo quando nos sentamos no banco do jardim a ouvir música relaxante, o nosso corpo relaxa, e o nosso campo energético começa a restabelecer-se a nutrir-se de bons pensamentos e de energia vital.

 

 

Sem nome33.png

 

 A importância de restabelecermos o nosso campo energético no nosso dia-a-dia é fundamental, tirarmos tempo para nós, nem que seja 15 a 30minutos por dia.

   Tempo para estar connosco a fazer o que realmente nos nutre a alma, seja pintar, nadar, caminhar ou simplesmente deitarmo-nos na varanda a olhar para a Lua. Hoje em dia é urgente tomar-mos conta de nós, a sociedade vive com o tempo contado, neste momento está a surgir uma epidemia de cancros nunca antes vista, mais importante que a Alimentação, mais importante que o AR que respiramos é a importância de como o fazemos todos os dias, o amor e a consciência que depositamos em cada um dos nossos actos, a maneira como escutamos o nosso corpo e nos amamos e respeitamos é vital para o nosso bem-estar. Relembrar-nos todos os dias que o mais importante não é aquele carro de luxo, aquele vestido lindo que me vai ficar deslumbrante nas primeiras duas vezes que usar ou aquele telefone de última geração que vai tirar a melhor fotografia para o instagram...A forma como falamos com quem está à nossa volta, a forma como falamos e nos dirigimos a nós mesmos, temos que nos relembrar de quem somos, do que sentimos, do que nos faz sorrir, e sentir vivos, daquela brisa do mar a arrepiar a pele, daquele sol lá fora que nos deixa rosados, da terra nas mãos que nos deixa reconectados à mãe natureza... esses pequenos detalhes...detalhes que nos enchem a alma, que nos nutrem por dentro, que nos fazem amar, este bem, tão preciso, que é a vida na terra.

 

Com muito amor,

Kate

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D